quarta-feira, março 08, 2006

Filho...



O sentido em que me perco
é talvez redondo!
De uma dimensão infinita
que começa em mim
e em mim termina!
No meu centro,
seja ele luz ou escuridão,
estás Tu!
tão íntimo e profundo que te respiro.
Nas minhas inspirações
tu circulas levando vida num murmúrio lento,
sem dúvidas!
Cada vez que expiro
voas de mim em liberdade de brisa
que alcança os céus!
Dás-me o sol e a lua para percorrer!
Deixas-me nascer!

3 Comments:

Blogger Medusa Azul said...

bonito poema... perco-me contigo (ou de ti) num sentido talvez em espiral.. e os meus cabelos enlouquecem.. acho que vou deitá-los... :) Bonitas fotos também!

11:58 da tarde  
Blogger Jorge Moreira said...

A Alma Espiritual!
A Monada.
Muito lindo!
Beijinhos,

10:42 da manhã  
Blogger Susana said...

O mais lindo e sentido que li de ti.. Mãe, filho, em perfeita sintonia, deve ser fantástica a vossa relação.. :) Beijinho, grande..

9:46 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home