sexta-feira, agosto 08, 2008

Neste dia...



Asas.
Voltar a senti-las.
Voar. Pertencer ao céu, acompanhar o vento, tornar-me azul.
Ensaiar o desconhecido. Apropriar-me da vastidão interna, aprisionada de pés e mãos.
Medo. Sorrir-lhe.
Quantas vezes serão precisas?!!




Recomendo o livro de Paulo Borges: A cada instante estamos a tempo de nunca haver nascido. E os seus aforismos...


“Busca o que mais temes, beija-o na boca e sê feliz para sempre.”

Paulo Borges